PARA SABER MAIS ...

 LAGERSTATTEN

   

Lagerstatten (singular laggerstatte) são jazidas fossilíferas que são excepcionalmente notáveis quer pela diversidade, quer pela qualidade da preservação. Geralmente, ambas as qualidades são encontradas. Por vezes é referida a frase «konservat - lagerstatten», numa alusão polissilábica à superior importância do local.  

 

São várias as jazidas Laggerstatten reconhecidas a nível mundial, desde o Vendiano (a Formação Doushantuo, na China), passando pelo Câmbrico (os exemplos mais famosos são o Burgess Shale, do Canadá e Chengjiang, da China), Silúrico (como o Much Wenlock Limestone da Grã-Bretanha), Jurássico inferior (Posidonia Shale, Alemanha), Jurássico superior (Solnhofen Limestone, Alemanha), Cretácico inferior (Formação Santana, Brasil; Formação Yixian, China) até ao Eocénico (Formação Green River, Wyoming).  

http://palaeo.gly.bris.ac.uk/Palaeofiles/Lagerstatten/solnhofen/platten.jpg

http://www.paleontology.uni-bonn.de/institut/museum/images/archaeopteryx.jpg

http://www.oucom.ohiou.edu/dbms-witmer/images/Archaeopteryx%20Berlin.JPG

 

 

PARA SABER MAIS ...

 

http://palaeo.gly.bris.ac.uk/Palaeofiles/Lagerstatten/

http://geology.about.com/library/weekly/aa022899.htm

http://www.peripatus.gen.nz/paleontology/defLagerstatten.html

http://wiki.cotch.net/index.php/Lagerstatten

http://jflhomme.club.fr/gisements/lagerstatten.htm

 

 

Jazidas em que ocorram restos embrionários de dinossáurios preservados in ovo são extremamente raros. Mas são conhecidas algumas ocorrências, sendo a mais espectacular a jazida de Auca Mahuevo, do Campaniano da Patagónia, Argentina, onde foi encontrado em elevado número de ovos com elementos esqueléticos de embriões, que permitiram uma identificação titanossaurídea do material (Chiappe et al. 1998, 1999, 2000, 2001), com membrana testacea ainda aderente à superfície interior da casca do ovo, e impressões da pele dos embriões (Dingus et al. 2000). Ocorrem ovos e ninhos em grandes quantidades, numa área superior a 10 km2. Em vários casos os ovos são mesmo encontrados em ninhos que foram escavados e que ainda apresentam os rebordos elevados, preservados em arenitos (Chiappe et al. 2004, de onde é retirada a fotografia superior da esquerda).

Como os tecidos moles raramente ficam preservados, a qualidade e abundância do material encontrado em Auca Mahuevo sugere que esta jazida possa ser elevada ao estatuto de Lagersttate, como foi proposto por Grellet-Tinner (2006 a).

 

 

Rettalack (2005) lançou um repto: será que os fósseis ficaram excepcionalmente preservados em tempos caracterizados por acontecimentos  «especiais»? É comum atribuir a factores como enterramento muito rápido ou relacionados com ambientes invulgarmente anaeróbicos, salinos, frios ou áridos, a preservação de agregados com fossilização excepcional. “Mas estes mecanismos não explicam a preservação excepcional de peixes, insectos, crustáceos ou plantas em antigos ambientes marinhos pouco profundos ou não marinhos, como acontece com Hraal Bekkers (África do Sul), Gosford (Austrália) e Wapiti Lake (Canadá)”. Este investigador identificou muitas outras jazidas onde fósseis destes grupos estão muito bem preservados, com uma vasta distribuição temporal (entre os 520 e os 8 milhões de anos) e sugeriu que grande número ocorre em tempos de “profundas perturbações na composição isotópica de carbono e enxofre, de extinções em massa, de limites de era, períodos e estádios e de acontecimentos oceânicos anóxicos”. Foram também “tempos de concentração elevada de dióxido de carbono, de aumento de pluviosidade e da sazonalidade em terra e de aquecimento global”. Assim, sugeriu que, para além das condições ambientais locais, a preservação excepcional também depende de factores mais gerais, como crises globais, atmosféricas e aquáticas, “que podem ter retardado a decomposição aeróbica e aumentado as oportunidades para acontecimentos de mortalidade em massa e de permineralização”.